O Pianista

Era uma vez o Pianista. Um dos melhores que alguém já havia ouvido, talvez o melhor. Na verdade, era um pianistazinho. Ele era menor que um mindinho e seu piano tinha o tamanho de uma caixinha de anel (daquelas que guardam aliança), um belo piano de cauda, preto e lustroso. O Pianista viajava pelo mundo em seu aeromodelo para fazer seus espetáculos. Muito famoso por ser tão pequeno e tão bom, todos o convidavam para festas. Ele era muito tímido e não gostava de ficar cercado por muita gente, principalmente, porque se as pessoas ficassem bêbadas começariam a brincar com ele, pega-lo na mão, etc.

Numa dessas festas, as pessoas ficaram muito bêbadas e começaram a jogá-lo para cima. Uma senhora, com medo que ele se machucasse, tirou o Pianista da mão de um dos bêbados e o guardou em segurança, enrolado num lenço dentro de uma bolsa e o levou para casa.

Na manhã seguinte, o Pianista acordou na casa da senhora com uma música triste tocando baixo em algum lugar da casa. Muito curioso, ele começou a procurar pela casa e quanto mais perto dos quartos ele chegava, mais alta e clara se tornava a musica. Chegando ao quarto de onde a musica vinha, o Pianista começou a escalar a estante. Uma, duas, três, quatro, cinco prateleiras. Quando chegou à sexta prateleira, ele parou. Havia encontrado a fonte da musica. Uma caixinha de musica.

Era uma caixinha de música preta, do tamanho de uma pequena caixa de sapatos e com gravura de rosas. E dentro da caixa estava a Bailarina, dançando repetida e lentamente ao ritmo da musica triste que a caixa tocava, com uma expressão ainda mais triste que a musica em si.

Ele ficou muito tempo ali, sentado do lado de fora da caixa, observando a Bailarina. Ele ficou ali até ser encontrado pela senhora que o salvara na noite anterior. Ele gostaria de ficar ali sempre, mas ele tinha que partir, tinha espetáculos a fazer. E ele foi.

Depois daquele dia, ele nunca mais tirou a bailarina e sua caixa de musica do pensamento. Algum tempo depois, ele refletiu muito sobre tudo e tomou uma decisão muito importante: decidiu parar de se apresentar, ir morar na caixa de musica com a Bailarina e tocar para ela musicas mais alegres.

O Pianista ligou para a senhora e perguntou se poderia morar na caixa de musica com a Bailarina, a senhora disse que sim e, assim que pôde, ele se mudou para a caixinha.

O Pianista e a Bailarina vivem felizes até hoje na caixinha de musica em cima da prateleira do meu quarto na casa da minha avó.

–>Essa historinha foi inventada pela minha tia quando eu era pirralha. E publicada hoje porque a Sra. Rafaela Pietra queria que eu publicasse algo. Espero que gostem.

Até o próximo post.

Um pensamento sobre “O Pianista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s