Desespero

O desespero de Carla era palpável. Ecoava em cada silaba trêmula de sua voz.
Roberto sempre soube que era um filho da puta. Era difícil admitir, mas era a verdade. Roberto era um completo filho da puta.
Enquanto ele tentava fugir pela tangente, Carla fazia de tudo para chamar sua atenção.
Roberto se sentia claustrofóbico toda vez que olhava nos olhos dela.
O que Carla mais queria era estar com ele, só isso. Ela se apegava a qualquer forma de atenção que ele dava como se fosse a última vez que se vissem. E ela sabia que essa seria a última vez.
Roberto anunciou que nunca mais se veriam. Era melhor assim.
Carla olhou no fundo dos olhos de Roberto e notou a frieza. Ele a olhava como se fosse uma ferida cheia de pus. A esperança dela morria quando ele lhe deu as costas, mas não morreria sozinha.
Roberto ouviu o tiro e sentiu o calor úmido que escorria pelo peito e pelas costas. Ele se virou para olhar mais uma vez os olhos carentes de sua assassina.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s